http://www.lowcostportugal.net/wp-content/uploads/J%C3%BAlio-Pedro-Carvalho-Fitness-Hut.jpg


entrevista realizada para o site Low Cost Portugal




A marca Fitness Hut estreou o conceito de ginásio – health club de baixo custo em Portugal. Com uma unidade ativa desde Outubro de 2011, tem planos de expansão arrojados para os próximos meses e anos.

Falámos com Júlio Pedro Carvalho, “owner” da Fitness Hut no intuito de perceber o que há de low cost nos ginásios e que ações vão ser desenvolvidas para potenciar a marca.

Quando foi identificada a necessidade de criar uma cadeia de ginásios low cost e quantos meses / anos levou se levou da ideia inicial à abertura da unidade das Amoreiras?
Já tínhamos assistido à nascida de várias cadeias internacionais há três anos atrás e acompanhamos o crescimento delas com muito interesse – até lançamos uma marca com o conceito parecido antes do Fitness Hut (Fitness Worx by Holmes Place). Fomos seduzidos para criar este novo conceito aproximadamente um ano antes da inauguração do clube das Amoreiras.

Os easyGym, do fundador da companhia aérea easyJet, serviram de inspiração? 
Também, entre outras: Mcfit, The Gym, Planet Fitness.

Em que medida é que o Fitness Hut segue o modelo low cost? 
Preços bastantes mais baixos.  Cortamos nos serviços extra (de luxo) tipo SPA, restaurantes, estética, jacuzzi, piscina, etc.

Como obtêm um preço mais barato comparativamente a outros operadores do mercado?
Os nossos custos de staff são bastante mais reduzidos pelo facto que a grande maioria de pessoas do staff são Personal Trainers que pagam uma renda de aluguer ao clube e praticam e cobram o seu próprio preçário directamente ao sócio.

O Fitness Hut funcionará em modelo franshising?
Não.

O primeiro Fitness Hut foi inaugurado em meados de outubro. Quais as reações e expectativas dos investidores / consumidores?
Ficamos todos bastante satisfeitos com a rápida aceitação por parte dos consumidores.  Os consumidores ficaram bastante surpreendidos com a qualidade das instalações e dos serviços disponíveis.

Que planos de expansão tem a marca para o resto de 2011 e para o ano de 2012?
Contamos abrir mais nove clubes em 2012.

Os planos não serão afetados pelo clima de crise economica patente em Portugal?
Acreditamos que o clima fortalece o plano de expansão, pois o consumidor não pára de viver e adapta-se procurando oportunidades que tenham uma relação qualidade / valor mais adequada ao seu bolso.

A estratégia passa por internacionalizar os ginásios? Chegar a outros países?
Sem duvida, em 2013 rumo a Espanha e logo de seguida Brasil.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.