Peter Steele já não encanta entre nós


Na música não há fusões impossíveis ou improváveis. As últimas décadas têm sido de “confronto” entre vários estilos, que tem dado origem a novos sons… uns mais bem conseguidos que outros.Peter Steele (voz e baixo), deu novos mundos ao mundo com os Type O Negative. Natural de Nova Iorque, onde os sons mais inconformados eram presididos pelo hard-core (Agnostic Front, Cro-Mags e Madball), conseguiu fundir este “musical de matilha”, o metal influenciado em literaturas obscuras e o rock dito gótico. Resultado, foi um dos autores de dois álbuns que ficam na história da música moderna: “Bloody Kisses” e “October Rust”.

Mais de 10 anos após o lançamento destes trabalhos, vagueando entre o esquecimento e o ressurgimento, todos nos relembrámos de Peter Steele. O seu coração parou a 14 de Abril. O autor morre, fica a obra. Que se preserve a memória.

Artigo publicado no Do Vinil ao Digital a 26.04.2010

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.