A Páscoa feliz dos Orphaned Land


Do vinil ao digital - A Páscoa  feliz dos Orphaned Land

O Metal é um dos contextos musicais onde os “talentos” estão mais dispersos geograficamente. A banda preferida de um fã até pode ser inglesa ou americana, mas existem outras que podem vir da Suécia, Grécia, Itália ou mesmo do Dubai. Veja-se os Moonspell, que são adorados na Escandinávia, na Polónia ou mesmo nos EUA ou Brasil.

Os Orphaned Land são de Petah Tikva, Israel. Do Death Metal melódico evoluíram para uma das misturas mais criativas do Metal actual. Nascidos numa região de conflito, a situação tornou-se inspiração e forma de luta.

A banda tem fãs em países árabes, em Israel ou espalhados pelo planeta. Isso não os deixa indiferentes e deu origem à escolha de rumo de recentes trabalhos. As letras, o grafismo e a musicalidade do novo CD “The Never Ending Way of ORwarriOR”, passa uma mensagem impossível: entre a batalha da luz e escuridão há que unir as três religiões do livro sagrado. Uma matéria muito sensível tanto para as duas partes do conflito ou mesmo para fãs de Metal, avessos a convicções religiosas.

“The Never Ending Way of ORwarriOR”, é o melhor álbum dos Orphaned Land. Novamente, realizam a fusão perfeita entre o Rock/Metal ocidental e as escalas orientais. Usam diversos instrumentos locais. Seria melhor caracterizá-los como uma banda de fusão e não de Metal dadas as “infusões” árabes e israelitas que têm.

Ouvir Orphaned Land é “beber” um pouco do contexto da Páscoa.

A banda actua dia 1 de Maio no Santiago Alquimista em Lisboa.


Artigo publicado no Do Vinil ao Digital a 02.04.2010

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.