Faith No More: Reunited and it feel so good…


Mike Patton, vocalista dos Faith No More, durante uma actuação na Suíça, no dia 13 de Junho

Mike Patton, vocalista dos Faith No More, durante uma actuação na Suíça, no dia 13 de Junho
Peter Klaunzer/EPA

O sarcasmo e o nonsense foram/são características dos Faith no More . No regresso aos palcos após um hiato de uma década, têm como primeira tema dos espectáculos “Reunited”, sucesso soul do colectivo Peaches & Herb.

Agora que voltaram, podemos afirmar: os Faith No More não tiveram o último concerto da carreira em Lisboa. A 7 de Abril de 1998 encerravam a digressão de “Album of the Year” e desde essa data somaram-se 11 anos de silêncio onde foram notícia os boatos de regresso mas também os de incompatibilidade.

A volta à ribalta de bandas do tempo do vinil e CD são a coisa mais normal no cenário musical dominado pelo digital. Quando pensava que os Madness e os Táxi tinham deixado de existir como grupo, ei-los de regresso com concertos e originais. As saudade de uma vida profissional com rumo, a reputação, o dinheiro e os fãs são dos principais motivos que reúnem músicos, anos ou décadas depois de se cansarem uns dos outros.

Desde que os Carcass e os Faith No More voltaram aos palcos que acredito ser tudo possível. Até uma reunião dos Beatles! Quem sabe, mesmo antes todos os seus elementos se juntarem no céu, limbo ou inferno.Mas antes podem ver a banda norte-americana a 8 de Agosto no Festival Sudoeste na Zambujeira do Mar.


Artigo publicado no Do Vinil ao Digital a 22.06.09

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.