A Feira do Metal, de Almada à FIL


Neste Sábado, Moonspell e Bizarra Locomotiva actuam na FIL, em Lisboa, num evento mais vasto que envolve exposições, debate, convívio, venda de merchandise, visionamento do documentário “Global Metal”, e o concerto dos Opus Diabolicum, um tributo de cordas à banda de metal portuguesa mais conhecida extra-muros.

A actuação é precedida de “metalidades”, uma fórmula a que os fãs deste estilo de música/vida conhecem há pelo menos duas décadas. Lembro-me, por exemplo, da Feira do Metal que se realizou no Ponto de Encontro de Cacilhas diversas vezes nos anos 90. Por lá passaram bandas nacionais que marcavam o metal: HeavenWood, Evisceration, Hate Over Grown, Fallacy, Thormenthor, etc. No segundo piso, alguns expositores comercializavam CDs, fanzines e restante merchandise. O evento durava três dias.

Na FIL, o conceito tem o nome de “Aldeia do Metal” e dele destaca-se a conferência “o Metal e a escrita” com José Luís Peixoto (escritor), Henrique Raposo (investigador universitário, cronista do “Expresso”), António Pacheco (editor da “Saída de Emergência”), Nélson Santos (colaborador da revista”Loud”, jornalista da “TSF”) e Fernando Ribeiro (vocalista dos Moonspell).

este artigo foi publicado no Do Vinil ao Digital a 21.01.2009

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.