Bloggers presos em nome da liberdade de expressão


Em vários pontos do globo, a opinião de bloggers continua a ser tão relevante que os leva à prisão. Na primeira quinzena de Novembro, as autoridades de quatro países agiram com especial ênfase a perante autores que falaram/falam “demais”. Os dados são da Global Voices Advocacy, um serviço que regista os casos num mapa mundial actualizável pelo cidadão.

Fatma Riahi, professora de artes performativas e autora do Arabicca foi detida a 2 de Novembro na Tunísia. As suas contas em redes sociais passaram a ser controladas pelas autoridades e o seu blogue foi apagado. Enfrenta 3 anos de prisão por suspeito crime contra o presidente tunisino.

Na África do Sul, “Uhuru Guru”, o autor do Zasucks foi detido a 4 de Novembro. À sua família foram confiscados computadores e telemóveis. O blogue que alimentava tem um tom muito crítico sobre as acções e políticas anti-crime do governo.

No Azerbaijão, dois vídeo bloggers realizaram uma peça onde um burro a satirizava o governo. Na quarta-feira passada foram condenados a penas de dois e dois anos e meio por alegados actos de “hooliganismo” decorridos num restaurante a 8 de Julho. Ambos referem que o acto que os levou à prisão foi perpetrado pelas autoridades e que a sentença se deve ao vídeo colocado no Youtube.

A blogger cubana Yoani Sánchez, revelou no seu Generación Y ter sido presa e espancada quando se deslocava para a participação de marcha anti-violência. Yoani tem recebido vários prémios internacionais.

Estes são apenas alguns dos muitos casos que a Global Voices Advocacy regista desde o ano 2000. Esta organização activou um mapa mundial onde são contabilizados bloggers que foram ameaçados, presos ou mortos por ousarem exprimir-se livremente.

Global Voices Advocacy

Global Voices Advocacy

Artigo publicado no Diario2 a 17.11.2009

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.