Mad Men e FlashForward promovem-se no Facebook


Artigo editado no TwitterPortugal, a 08.10.2009.

Actualmente, a qualidade das séries americanas é seguida por um público heterogéneo e global. Atendendo à vocação internacional dos produtos multimédia, e à estreita relação dos consumidores com a internet, o marketing das estações de TV tem cada vez mais e melhores experiências nas redes sociais. São os casos de Mad Men e FlashForward no Facebook.

Mad Men contextualiza a sociedade americana dos inícios dos anos 60 utilizando o universo do marketing e publicidade. A série tem boas audiências e tem sido premiada.

madmen

No Facebook, a promoção faz-se numa fan page que tem mais de 180 mil utilizadores. Episódio a episódio cresce o envolvimento dos espectadores na wall, onde discutem o rumo e a qualidade da série. Cerca de 30 vídeos e 17 álbuns de fotos estão em partilha. Em resposta aos materiais oficiais, os fãs já enviaram perto de 2000 fotos personalizadas, o que demonstra o seu grau de envolvimento.

Para além do Facebook, a AMC – responsável pelo programa – criou duas aplicações que têm feito sucesso online. “Mad Men Yourself”, transforma uma fotografia em imagem de personagem da série. “Which Mad Man Are You?”, é um questionário que identifica, quem aceita responder, com determinada personagem. A promoção no Facebook é um complemento a outras acções criadas no Twitter, iPhone e site oficial.

FlashForward estreou a 24 de Setembro nos EUA na ABC. Passou a ser televisionada no canal AXN já a 7 de Outubro em Portugal. A série que pretende continuar o legado sci-fi de Lost, foca-se num evento apocalíptico que decorrerá seis meses após a acção presente. Desmaios de 2 minutos e 17 segundos são sentidos por toda a população mundial, durante os quais são reveladas premonições do contexto dramático futuro.

flashforwardexp

A ABC promove a série através da FlashForward Experience, uma aplicação possível graças ao Facebook Connect que está assente numa fan page e num site próprio. Esta “experiência” recolhe fotos dos amigos do utilizador e edita-as numa curto filme sobre o seu futuro. Assim, emvolve o espectador no contexto da série.

Hoje em dia, para promover uma marca já não basta ter um canal no Twitter, Facebook ou mesmo no Hi5 a “debitar” informação. É necessário implementar acções criativas e únicas que tornem o utilizador numa parte integrante do produto pelo qual nutre afectividade.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.