Android e HTC Magic já estão entre nós


[este artigo foi originalmente publicado no blog Twitter Portugal a 15.07.2009]

Na segunda-feira da semana passada a TMN e Vodafone lançaram em Portugal o HTC Magic, uma peça mais que vem alterar a forma como nos relacionamos na “auto-estrada da informação”. Hoje em dia, não nos distanciamos facilmente da Internet e começa a ser tão indispensável como a electricidade. Tal como há semanas dizia Jack Dorsey, um dos criadores do Twitter, uma ferramenta tem impacto fundamental no mercado quando ocupa o lugar comercial ao qual Nikola Tesla elevou a energia eléctrica.

A mobilidade na ponta dos dedos nasceu nos anos 90 e já neste século tornou-se importante com o trabalho de marcas como a Blackberry, Palm, Nokia, Apple e outras mas foi com o iPhone que se vulgarizou. “Vamos usar o melhor dispositivo apontador do mundo. Um dispositivo com que todos nascemos. Os nossos dedos.”, disse Steve Jobs na apresentação do produto. Mas não são só os dedos que fazem dos smartphones um produto quase obrigatório.

É mágico?

O HTC Magic é o primeiro telemóvel de nova geração a chegar ao mercado português com o Android, o sistema operativo da Google. As suas especificidades hardware, consultáveis aqui, colocam ao nosso dispor o essencial para comunicarmos tanto em multimédia (texto, imagem e vídeo) como de “viva voz”. O design, ergonomia e software foram tangidos de forma a qualquer pessoa se familiarizar rapidamente com os processos básicos.

Entre outros atractivos, a câmara tem a capacidade de tirar fotografias e gravar vídeos a 3.2 megapixel, ficheiros que são partilháveis no Youtube, Gmail ou mesmo em aplicações que se descarreguem posteriormente. A resolução de HVGA 320 x 480 permite um que bom uso das capacidades visuais do HTC Magic.

Olha o Android!

O sistema operativo Android coadjuva o uso prático das aplicações importantes da Google: Gmail, GTalk, Search, Maps e Youtube. Por exemplo, os contactos que temos no HTC Magic podem ser configurados na conta de Gmail em múltiplas categorias, dispensando a longas jornadas ao teclado virtual do aparelho. O Android permite também a configuração de contas da Microsoft ou que tenham Pop3 e IMAP. Por outro lado, o sistema de mensagens funciona como se tivéssemos aberta uma caixa no Gtalk.

Como o sistema operativo tem por base o Linux e o software aberto, qualquer programador pode realizar aplicações java e disponibilizá-las ao serviço de qualquer utilizador através da opção Android Market presente no aparelho.

O ambiente de trabalho está dividido em três dimensões, permitindo a organização de pastas, ligações e atalhos para programas da forma que mais nos convém. O ambiente reconhece os movimentos verticais e horizontais e tem uma boa sensibilidade ao toque das nossas “impressões digitais”.

A bateria é o “calcanhar de Aquiles” do HTC Magic. Embora esteja designado que possa durar 660 horas sem uso, ainda não se passou dia e meio sem que o tivesse ligar á electricidade. O aparelho também é recarregável via USB. Além do cabo que lhe permite interagir com o computador, traz um auricular estéreo, um cartão microSD de 2 GB, uma bolsa e o adaptador para ligar à corrente eléctrica.

Software livre, uma variedade de aplicações

Dada a abertura do Android, o sistema é o que nós desejamos que seja. Assim, é aconselhada a visita do Android Market ou de fóruns como o Portal Android para descobrir aplicações interessantes. Por exemplo, se não dispensam o Twitter no transporte público, no snack-bar ou na praia aconselho-vos a aplicação Twidroid.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.