Blog + Twitter + Facebook = ROI


[este artigo foi escrito para o blog do TwitterPortugal e publicado a 28.05.2009]

Que modelo utilizar numa campanha de Comunicação Digital? As boas ideias nem sempre são dispendiosas e a Web facilita a sua prática. Um dia depois do início da 79ª Feira do Livro do Porto, tomemos o exemplo da acção online desenvolvida na festa dos livros de Lisboa.

1. Site institucional
Pese embora haja quem questione se ainda faz sentido trabalhar a comunicação com sites institucionais, estes são uma estrutura de apoio a que a maioria dos internautas recorre. Para além dos contactos, a informação generalista é servida como base de dados na 79ª Feira do Livro de Lisboa: o programa; o livro do dia; os participantes, parceiros e patrocinadores. Para além disso, é a ponte de ligação com acções online específicas: o blogue e as redes sociais.

2. Blogue
Esta ainda é a melhor ferramenta de partilha de conteúdos. De 30 de Abril a 17 de Maio, a organização partilhou num blogue informação sobre debates, conferências, realizou entrevistas a autores, esteve na apresentação de livros, divulgou programação específica, compendiou fotos e vídeos, etc. Foram escritos perto de 60 posts que tiveram replicação em redes sociais.

3. Twitter
Em 140 caracteres pode-se divulgar todo e qualquer formato multimédia. Em duas semanas e meia, o perfil Twitter da Feira do Livro de Lisboa recebeu a preferência de 600 pessoas. Emitiu mais de 700 mensagens directas e indirectas (blogue e outras plataformas) de informação curta, incisiva e dada na hora. O Twitter divulgou assim ligações de recolhas multimédia (vídeo, imagem), fez a cobertura em poucos caracteres dos soundbites mais importantes de conferências, recordou de eventos que iriam decorrer, etc.

4. Facebook
O Facebook poderá não ser ainda a rede social mais utilizada pelos portugueses, mas é a que está melhor preparada para o contacto com o internauta. Finalizada a feira, cerca de 1700 participantes estavam associados à página de fãs criada para o efeito. Nesta leram e comentaram posts do blogue oficial, fotografias, vídeos recolhidos sobre vários conteúdos programáticos. Na “wall” os associados deixaram a opinião e observaram inclusive alguma da cobertura jornalística feita por meios de comunicação social.

5. Qual o Return of Investment (ROI)?
As acções com meios Web 2.0 são mensuráveis? Esta é uma das questões que responsáveis pela aprovação de estratégias de comunicação mais fazem. Alguns refutam este tipo de acções.

Certo é que a 79ª Feira do Livro de Lisboa, face ao ano anterior em que actuou na Web com uma comunicação online 1.0, ganhou ao entrar em plataformas 2.0. Obteve:

– Mais visitantes no site oficial;
– Informação digital útil, disponibilizada de forma dinâmica;
– O interesse de público que utiliza a Web como fonte primordial;
– Maior afectividade e reputação;
– Divulgação e recomendação por parte de “prosumers”

Hoje em dia, as instituições e empresas têm de actuar pro-activamente com os meios que permitem um contacto directo com o público. Esperar que a publicidade e a cobertura jornalística tenham impacto é desejável mas inverosímil.

Um blogue, uma conta Twitter e Facebook, geridos por um autor, são suportes eficazes da comunicação online. A Comunicação Digital da Feira do Livro de Lisboa, que replica o modelo na do Porto, é um modelo eficaz que pode ser aperfeiçoado.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.